Cerratinga

Capim dourado

>> Clique e acesse os Produtos, Produtores e Receitas com esta espécie
Espécie do Cerrado

Uma das preciosidades do Cerrado são os fios dourados da sempre-viva que brota em campos do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Distrito Federal e Bahia. O capim-dourado (nome científico: Syngonanthus nitens), apesar do nome, não é um capim, ou seja, não pertence à família das gramíneas, sendo, na verdade, a haste de uma pequena flor branca da família das sempre-vivas (família Eriocaulaceae).

Capim dourado (Foto: Isabel Schmidt)

Capim dourado (Foto: Isabel Schmidt)

Cada pé de capim-dourado é uma sapata (ou roseta, como dizem os especialistas), que cresce perto do solo e tem três ou quatro centímetros de largura. Cada sapata, em geral, produz duas hastes por ano. No entanto, algumas plantas podem produzir até 20 hastes/ano. No topo das hastes, brotam flores muito pequenas, as quais resultam em pequenos frutos secos. Tais frutos não são comestíveis, eles são os guardiões das sementes que garantem a perpetuação da espécie. Cada cabeça de haste guarda até 60 sementes, as quais, devido ao seu tamanho reduzido, têm uma aparência de poeira marrom. Na região do Jalapão, TO, o Instituto Natureza do Tocantins definiu regras para a colheita das hastes de capim-dourado utilizadas na confecção de artesanato, que resultaram na Portaria 092/2005, reeditada como Portaria 362/2007 com o objetivo de evitar a extinção da espécie. As medidas a serem tomadas são: as hastes apenas podem ser colhidas após 20 de setembro, ou seja, somente após a maturação das sementes; os frutos devem ser cortados e dispersos no solo logo após a colheita; as hastes de capim dourado não podem sair da região in natura,apenas em forma de artesanato.

Artesanato de capim dourado (Lara Campedelli/ISPN)

Artesanato de capim dourado (Lara Campedelli/ISPN)

O capim dourado é matéria-prima para a confecção de bolsas, bijouterias e objetos de decoração, que são nacionalmente conhecidos e valorizados. A arte de transformar as hastes em artesanato é uma herança dos índios Xerente. Os utensílios fabricados por eles eram utilizados em casa ou trocados por outros produtos. Atualmente, a produção de tais peças artesanais é a principal fonte de renda de centenas de famílias.

Publicação para download

>> Boas Práticas de Manejo para o Extrativismo Sustentável do Capim Dourado e Buriti (PDF)