Cerratinga

Cerrado é homenageado com site multimídia

(Foto: Acervo ISPN/André Dib)


ISPN chama atenção para a importância desta savana brasileira para o equilíbrio climático global. Concentrando as atenções do mercado internacional importador de commodities e, ao mesmo tempo, de governos preocupados com a conservação ambiental, o bioma é apresentado com fotos, vídeos e infográficos no site Cerrado Vivo.

Poucas pessoas do Brasil – e muito menos do mundo – sabem que o Cerrado é uma reserva de água e biodiversidade indispensáveis para o equilíbrio climático global. Também é fato pouco conhecido o bioma ser a savana mais biodiversa do mundo, concentrando 5% das espécies do planeta. Além disso, também segue ignorada a presença massiva de comunidades tradicionais que conservam o Cerrado com extrativismo e modos de vida sustentáveis que são exemplo para a humanidade que almeja o desenvolvimento econômico sem impacto ambiental.

Com o intuito de conscientizar a população sobre a importância do bioma, é lançado o portal Cerrado Vivo, que traz uma amostra visual e textual de suas riquezas, apontando os elementos ameaçadores dessa reserva. Por ser uma região de intensa expansão do agronegócio descontrolado, que ameaça povos, flora, fauna e água, a página web também destaca quais são os principais desafios enfrentados atualmente pelo bioma e suas populações. Interessados podem acessar o site pelo link www.cerradovivo.ispn.org.br.

A novidade é uma realização do Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN), ONG socioambiental que atua há 31 anos na conservação do bioma pela proteção aos povos e comunidades tradicionais.

Tesouros e ameaças globais

Histórias de vidas de defensoras climáticas, formas de geração de renda, sustentabilidade e curiosidades são abordadas pelo portal, que será atualizado com materiais e dados sobre o Cerrado. Um dos destaques é a região ser conhecida como “berço das águas”. Das 12 bacias hidrográficas do Brasil, oito nascem no Cerrado. O portal traz em sua estreia a história de Dona Lúcia, geraizeira e raizeira, conhecida como a guardiã desse grande mar de água doce.

As mulheres Kalunga, habitantes do maior território quilombola do Brasil, localizado no noroeste de Goiás, também são destaque do projeto. “Os povos e comunidades tradicionais do Cerrado são os grandes responsáveis pela conservação do Cerrado em pé, são verdadeiros defensores climáticos”, comenta Isabel Figueiredo, Coordenadora do Programa Cerrado e Caatinga do ISPN. “Nossa savana é amplamente povoada por pessoas que usam os recursos naturais de forma sustentável, garantem segurança alimentar, abastecem as cidades e geram renda, em uma relação harmônica com o meio ambiente”, acrescenta.

O Cerrado Vivo é um convite para que pessoas conheçam esse tesouro que é patrimônio natural do Brasil e que está diretamente ligado aos cinco continentes do planeta, especialmente pela grade quantidade de estoque de carbono e das bacias hidrográficas, que influem nos climas globais. A página tem versão em português e inglês.

(Foto: Acervo ISPN/André Dib)


Conteúdo relacionado: Capa