Cerratinga

25/02/2014

No Ano Internacional da Agricultura Familiar Cerratinga dá visibilidade para a atividade

O ano de 2014 foi declarado, pela Organização das Nações Unidas (ONU), como o Ano Internacional da Agricultura Familiar pela contribuição dos pequenos produtores para a segurança alimentar mundial aliada à conservação e respeito ao meio ambiente.

Agricultora familiar (Foto: Peter Caton/ISPN)

Agricultora familiar (Foto: Peter Caton/ISPN)

A atividade, segundo o último Censo Agropecuário divulgado em 2006, é responsável por 70% da produção nacional de alimentos, ou seja, mais da metade dos alimentos que vão para a mesa do brasileiro é proveniente desse setor. Mas, apesar deste dado, iniciativas produtivas encampadas por pequenos agricultores e/ou povos e comunidades tradicionais, muitas vezes, não avançam devido à falta de divulgação de seus produtos e à dificuldade de alcançar os mercados regionais e nacional.

Para Renato Araújo, assessor técnico do Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN), “as comunidades que vivem no campo enfrentam sérios problemas envolvendo interesses econômicos, como a concentração de terra na mão de grandes produtores, monocultura para exportação, uso intensivo de agrotóxicos e mecanização da produção, com reflexos na visibilidade dos pequenos produtores”.

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), que está à frente da campanha pelo ano dedicado à agricultura familiar, reconhece esta lacuna e pretende, neste período, reposicionar a agricultura familiar no centro das políticas agrícolas, ambientais e sociais, por meio de uma ampla discussão e cooperação no âmbito regional, nacional e global para aumentar a conscientização e o entendimento com relação aos desafios que os pequenos agricultores enfrentam e ajudar a identificar maneiras eficientes de apoiá-los.

O Cerratinga está alinhado com esta iniciativa ao promover, por meio de sua página eletrônica, produtos exclusivos da agricultura familiar elaborados a partir do extrativismo sustentável e do beneficiamento de espécies nativas do Cerrado e da Caatinga. Ao dar visibilidade aos produtos da sociobiodiversidade, o site abre uma importante oportunidade para a produção sustentável da agricultura familiar.

Desse modo, o site Cerratinga, atua como um disseminador de informações e como um ponto de encontro onde a sociedade civil pode saber mais sobre os produtos da agricultura familiar e obter informações referendadas sobre a rica sociobiodiversidade do Cerrado e da Caatinga.

“Com a disseminação de informações qualificadas e políticas agrícolas, ambientais e sociais eficientes, a agricultura familiar sairá da marginalidade e contribuirá mais intensivamente para a erradicação da fome e da pobreza e, ao mesmo tempo, com o alcance do desenvolvimento sustentável”, ressalta Renato.

A página eletrônica Cerratinga – http://www.cerratinga.org.br/ – chama a atenção para o importante papel da agricultura famíliar no provimento da segurança alimentar e nutricional, proteção do meio ambiente e gestão dos recursos naturais. Além de destacar os resultados de geração de renda, melhoria da qualidade de vida, valorização da cultura tradicional e inclusão social de famílias que fornecem a matéria-prima.

 


Conteúdo relacionado: Capa, Notícias, Releases